quarta-feira, 30 de setembro de 2009

O repórter do boné pirata

Já sentiu vergonha alheia? Eu já e a última vez faz pouco tempo. Aconteceu antes do nascimento do blog, mas não podia ficar de fora. Foi numa delegacia de combate à pirataria num grande departamento da Polícia Civil de São Paulo. Policiais tinham apreendido uma grande carga de bonés e roupas falsificadas. O material veio de Apucarana, no Paraná, e ia ser vendido na região da Rua 25 de Março, no centro da capital paulista.
Decidimos cobrir o caso por causa de uma série de reportagens que fizemos sobre a "Pirataria Made in Brazil". Não por acaso, estivemos em Apucarana. (Quem tiver a curiosidade de ver, é só clicar aqui: pirataria 1, pirataria 2, pirataria 3).
Já na delegacia, fizemos as imagens do material apreendido (muitos bonés) e uma entrevista com o delegado. Um repórter de outra emissora também cobria o caso. Ia até fazer um link para um jornal local de SP. De repente, o repórter soltou: "Doutor, posso levar uns bonés pra mim?"
E a resposta do delegado? "Pode, claro! Escolhe aí, fica à vontade!"
E assim foi... o jornalista remexeu nas caixas e sem vergonha nenhuma pegou um monte de bonés. Enfiou numa sacola e pediu para o assistente da equipe guardar no carro.
O pior foi ver depois o tal repórter entrando ao vivo pra dizer assim: "Olha aqui a prova do excelente trabalho da polícia, que retirou das ruas uma grande quantidade de material falsificado. Um crime grave, não é doutor??"

Um comentário:

  1. Outra pérola: Coletiva na Delegacia de Investigações Gerais de Campinas, sobre o caso da senhora que foi assassinada por um ex-policial militar e a mulher.
    A primeira pergunta de um dos repórteres para o delegado: "Doutor, o crime foi premeditado?"

    Essa você também presenciou...

    Abs,
    Paula

    ResponderExcluir