sexta-feira, 25 de junho de 2010

Suspeitos: o maluco e o mendigo

Sei que é fácil falar mal do trabalho da Polícia. Também sei que erros de policiais ganham mais espaço do que os acertos. Mas a história da prisão de quatro suspeitos de cavar um túnel para assaltar um banco, em São José dos Campos, interior paulista, é muito engraçada. Olha só:
Num trabalho de inteligência, policiais militares descobriram o plano da quadrilha, que pretendia limpar o cofre da maior agência do Banco do Brasil na região. O bando alugou uma casa, cavou um túnel até a galeria de esgoto, chegou perto da agência pelo subsolo e cavou um segundo túnel. A escavação chegou até a sala do cofre. A Polícia Militar descobriu tudo e invadiu a casa. Mas não tinha mais ninguém. Os ladrões deixaram até as armas pra trás.
Até aí estava tudo bem. A trapalhada começou em seguida. A PM anunciou a prisão de um suspeito, momentos depois da descoberta do túnel. A prova contra ele?
- "O meliante está todo sujo de terra e tá tentando dar uma de maluco, não fala coisa com coisa. Mas tá na 'fita', pode apostar", foi o que me disse um oficial da PM, na porta da casa usada pela quadrilha. Horas depois, descobriu-se que o suspeito não estava tentando dar uma de "maluco". Era mesmo um maluco que tinha fugido do manicômio, naquela madrugada, cavando um buraco.
E não parou por aí. No dia seguinte, a PM prendeu outros três suspeitos. Os três estavam num córrego, onde o esgoto que passa pela tal galeria é jogado. Um dos presos estava todo molhado e quase morrendo de frio. A conclusão:
- "Ele ficou 24 horas escondido na galeria de esgoto pra tentar escapar e saiu pelo córrego. Mas nós estávamos diligenciando pelo local e o encontramos", disse um pm a um outro repórter. O cara tinha até "confessado". Mas o tal suspeito era um mendigo e os outros dois também não tinham ligação nenhuma com o túnel. Foram todos liberados pela Polícia Federal.

Túnel aberto pela quadrilha

Um comentário: