terça-feira, 4 de janeiro de 2011

Paulo Maluf e a piada de sempre

Toda posse de autoridade termina com a fila de cumprimentos. Apertam a mão do eleito as autoridades, depois os aliados e amigos e por fim os "puxa-sacos". Na posse do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), a fila dava voltas no salão nobre do Palácio dos Bandeirantes. A ala dos "puxa-sacos" era a maior, disparado. Mas não era isso que eu queria contar.
O primeiro da imensa fila... sabe quem era? Paulo Maluf! Ele mesmo. Deputado federal eleito, salvo pelo Judiciário no último minuto de ser cassado pela Lei da Ficha Limpa. Maluf era um sorriso só. Fiz muitas reportagens com ele, especialmente no tempo em que ficou preso numa cela na Polícia Federal.
Na saída, Maluf passou por uma roda de seis policiais militares. Foi a deixa pra eu ir lá, fazer uma gracinha. E disse para os pm's:
- "Tem gente dizendo que a polícia militar não é mais mesma..."
E um sargento respondeu:
- "É? Por quê?"
- "O Maluf passou no meio de tantos policiais e ninguém fez nada! O homem foi embora livre livre".
Dos seis pm's, cinco caíram na risada. Um deles até me deu a mão e disse: - "É verdade! Boa essa!"
O único que não viu graça nenhuma na piada foi um cabo, que ainda falou grosso comigo:
- "Ele tá solto porque ninguém prova nada contra ele!! Pelo menos ele fazia alguma coisa. Roubava, mas fazia!"
Na verdade, sempre faço essa piada quando vejo Paulo Maluf perto de algum policial e sempre tem um que não gosta.
Por que será?

Nenhum comentário:

Postar um comentário