sábado, 22 de janeiro de 2011

Vergonha das 'galochas'

Numa rápida conversa com o colega e amigo Sérgio Utsch concordamos de cara em um ponto: não sabemos mais como fazer uma reportagem sobre as enchentes de janeiro sem nos repetirmos. Se as cenas de casas deslizando e avenidas debaixo d'água se repetem a cada verão, as matérias também são as mesmas. Acho que a única coisa que muda é o nosso constrangimento. Nas matérias que fiz em Mauá, na Grande São Paulo, e em São José dos Campos, no Interior, não consegui por muitas vezes sequer abordar as vítimas das enchentes. Está no rosto das pessoas a decepção com o poder público e com a própria imprensa. Até porque nós, repórteres, também só voltamos a olhar para as famílias que vivem em áreas de risco no ano que vem. E pra fazer a mesma reportagem. Por vergonha, ainda não consegui usar as galochas que recebemos para colocar o pé na lama. Como vou fazer uma entrevista com os pés protegidos de tantas doenças se meu entrevistado está descalço?

Nenhum comentário:

Postar um comentário