quarta-feira, 9 de março de 2011

A morte de Carola

Em fevereiro de 2009, fomos para Natal (RN) para uma série de reportagens sobre o turismo sexual que toma conta da cidade. Numa das tantas madrugadas, já sem bateria nas câmeras e muito cansados, paramos para comer alguma coisa. Foi quando vimos, andando pelo meio da rua, uma mulher de cabelos loiros e muito magra. Reconheci aquela mulher. Era uma ex-socialite, ex-participante de reality show e ex-mulher de um playboy. A mulher nos contou que fazia programa na cidade para sustentar o filho adolescente. Pra falar a verdade, não demos muita bola. Nossa pauta era encontrar o elo entre os turistas estrangeiros, o turismo sexual e a lavagem de dinheiro na capital do Rio Grande do Norte. Na noite seguinte, demos de cara com ela novamente. O movimento de turistas estrangeiros era intenso. Estávamos com a micro-câmera ligada e conversamos com ela novamente. Tudo gravado, voltamos para São Paulo. Decidimos colocar apenas um pequeno trecho daquela mulher para abrir a segunda reportagem. O rosto dela foi preservado. E começamos assim:
(OFF)
"Ela já foi famosa, casada com um playboy, mas agora ganha a vida nas ruas de Natal."
Em seguida, com a micro-câmera, fiz uma rápida entrevista com ela:
- "Quando foi o último dia em que você conseguiu programa?"
- "Antes de ontem."
- "Antes de ontem? R$ 300,00?"
- "Antes de ontem foi...não, R$ 200,00... Tô passando fome..."

E o pequeno trecho teve uma enorme repercussão. Mais do que qualquer outro problema grave que mostramos na série. A reportagem foi parar no Youtube, com mais de 100 mil exibições. E em nenhum momento dissemos o nome daquela mulher. Fui convidado para participar de diversos  programas que falam da vida dos "famosos". Não aceitei. Alguns dias depois, vi Carola Scarpa dando entrevistas sobre nossa reportagem. Às vezes negando, às vezes confirmando que era, de fato, a tal mulher que aparecia em nossa reportagem. Agora, com a morte de Carola Scarpa, o assunto voltou. Muitas pessoas têm deixado mensagens no blog. Mas, por respeito, não há muito o que dizer. Apenas, que já naquela época, era possível enxergar que Carola Scarpa passava por sérios problemas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário