domingo, 8 de maio de 2011

O repórter sem rosto

Na TV ele é chamado de produtor. Costumo defender que, em muitos casos, ele é mais que isso: é um repórter que não mostra o rosto. A matéria do último sábado é um exemplo disso. A investigação feita pela Polícia Civil sobre o tráfico de drogas no centro de São Paulo foi acompanhada de perto e diariamente pelo jornalista Leandro Calixto. Mais de duas semanas. O resultado está abaixo. Mas o que não aparece na reportagem é a enorme dificuldade de lidar com casos assim. Acontece de tudo. O produtor tem que administrar vaidade, teimosia, pressão, desgaste, cansaço, enfim...

Nenhum comentário:

Postar um comentário