quinta-feira, 22 de março de 2012

Porque vale a pena

Voltamos a falar de crack. Dez semanas depois da tal operação do Governo de São Paulo, o problema só mudou de lugar. Na primeira matéria, mostramos a triste procissão do crack que toma conta de novas ruas do centro (clique aqui para ver a matéria). Na segunda, os flagrantes do tráfico que abastece a cracolândia livremente (clique aqui pra ver). A terceira e última, que vai ao ar hoje (22), nos deu um imenso prazer, a mim e ao parceiro e amigo Leandro Calixto. Fomos atrás de Luiz Alves Júnior, o Juninho. Em janeiro, quando fizemos outra série de reportagens, ele estava afundado no crack e vagava pelas ruas de São Paulo. Naquela época, ele buscou tratamento pela terceira vez. Quando estivemos com ele esses dias, Leandro e eu ganhamos um forte abraço, um beijo e um agradecimento: "Vocês salvaram minha vida." A sensação de que nosso trabalho ajuda de fato alguém é inesquecível e, infelizmente, rara.

  Luiz Alves Júnior, o Juninho

Reportagem com Luiz Alves Júnior, o Juninho, feita em janeiro

3 comentários:

  1. Boa noite;

    Bacana o blog!
    Aliás, o 'conheci' hole quando assistia à tal reportagem sobre o CRACK: forte mesmo...
    Imagino que DROGAS sejam uma das coisas mais controversas existentes... Principalmente as "lícitas" (alcool/cigarro/entre outras).
    Discute-se tais sobre várias coisas - liberação/usos medicinais; complicado isso.
    Acho o JORNALISMO uma carreira dinâmica, onde muitas vezes CORRE-SE PERIGO: ainda mais em coisas ligadas à POLÍCIA/VIOLÊNCIA...
    Vi que te formastes na faculdade em 1995 (o ano que ingressei_CURSO DE TURISMO). até digo que iniciei TARDE, com 20 anos: embora NUNCA É TARDE PARA SE ENTRAR NO 3o GRAU; ou NÃO HÁ UMA IDADE CERTA - ou simplesmente PORQUE NÃO SE CONSEGUE (poucas vagas/muitos candidatos)!
    Sucesso aí nas reportagens e que VIVAMOS NUM MUNDO MAIS NORMAL.

    Abraços,
    Rodrigo Rosa (Porto Alegre)

    http://rodrigo-arte.blogspot.com/
    rodrigoarte@rodrigoarte.com.br (este email estará disponivel quando meu site ficar pronto).

    ResponderExcluir
  2. Parabéns pela aula de jornalismo... Com emoção e sensibilidade que o tema exige, mas sem ser piegas ou sensacionalista...

    ResponderExcluir
  3. Grande Fábio, foi com a sua companhia que aprendi isso, de que são raros esses momentos em que podemos ajudar alguém. E é gratificante quando acontecem. Tenho todos guardados aqui dentro e são os mais especiais da minha curta estrada. Abraço e parabéns pela série.

    ResponderExcluir